quinta-feira, 15 de abril de 2010

Não vás! telefona!


Parece ser o lema que rege o nosso marejar.

Peço desculpa se vou aqui ferir algumas susceptibilidades, mas não posso conter o que me vai na alma.

Os telemóveis, chegaram à minha vida, já numa idade em que a vulnerabilidade a todo e qualquer tipo de novidade não apresenta qualquer perigo, e as tecnologias nunca foram a minha praia. Digamos que acabei por me render às evidências do "toda a gente usa, se calhar tenho que me juntar ao molhe". Lembro-me que o primeiro foi um Mimo, lembram-se? Um bajolo azul, pesado que nem cornos (diz que os cornos pesam). Depois, seguiram-se outros, cada vez mais leves e magros como ditam os cânones das modas. A verdade é que nunca morri de amores por estes objectos, e mesmo hoje em dia, reconhecendo todas as suas facilidades, não consigo olhá-los de frente. Há sempre aquele remorso, aquele ressentimento, não me perguntem porquê, porque não sei explicar, mas cultivo uma atitude de Velha do Restelo em relação aos telemóveis, e quanto a isso não há nada a fazer.

Tenho a séria convicção de que estes aparelhos têm vindo a estupidificar as pessoas. Desenvolvem-se os polegares em detrimento do cérebro. Senão vejamos. Um dia destes, enquanto accionava o meu modo Darth Vader com a mais velha "se as coisas não melhoram deixas de levar o telemóvel prá escola", ela rebateu indignada "Mãããeeee! E depois como é que eu encontro as pessoas na escola!!!!????" ....Desculpa!!??

Já repararam como grupos de pessoas, supostamente amigos se movem no meio das ruas? Nomeadamente grupos desta gente mais nova. Não se olham, não conversam, apenas caminham lado a lado, cada um metido no seu próprio terceira geração com não sei quantos pixeis, provavelmente a enviar mensagens para o outro que vai ali mesmo ao lado.

O meu maior medo, é mesmo o facto de me sentir um pouco engolida por esta onda toda. Mesmo eu já me sinto despida se não carrego o estropício comigo. E isto meus amigos é triste. Estou a amolecer é o que é. No entanto, e talvez fruto deste pé atrás que tenho para com os ditos objectos, existe uma espécie de malapata, que me persegue deste o tal Mimo, até hoje. Não sei se por descuido, não sei se por desleixo, mas certamente, sim, por uma negligência consciente, todos os meus telemóveis têm tido uma vida curta com um final extremo. Só para vos dar uma achega, dos quatro últimos, o primeiro esqueci-me dele em cima do capot do carro, e arranquei...nunca mais o vi...já lá vão uns bons três anos. O segundo, ainda hoje me pergunto como, arranquei-lha a peça onde encaixa o carregador (calculo que tenha a ver com a delicadeza com que trato as coisas). O terceiro fez um ciclo completo intensivo a 60 graus centígrados, para roupa branca muito suja, e por último, o ainda sobrevivente, este desgraçado da imagem, como podem constatar não anda já com boa cara.

Cá em casa, dizem que é porque eu só compro tralha, verdade...são sempre os mais...económicos, eu aceno e vou concordando, mas aqui pra nós que ninguém nos ouve, eu e os telemóveis é mesmo violência doméstica consumada ao mais alto nível.


Ps: Este post, como é bom de ver, insere-se no âmbito do anterior....coisas que não interessam nem ao Menino Jesus.

E não vai ficar por aqui...

12 comentários:

Chica disse...

O pior é que acostumamos com eles e aqui em casa, meus filhos entram em pânico se não me encontram nele.Pode? beijos,lindo desabafo!chica

Poetic GIRL disse...

Eu a pior coisa que me podem fazer é sairem comigo e passarem a vida a olhar, mexer, sei lá eu mais o quê no telemóvel. Acho uma tremenda falta de respeito... assusta-me esta dependência, não a quero definitivamente para mim. uso sim, mas comedida... bjs

Mulher a 1000/h disse...

Bom... eu uso e abuso do telemóvel... ainda por cima esses brinquedos agora até net têm e tudo... mas, por exemplo, sou incapaz de estar em casa e tê-lo sempre comigo... acaba por ficar esquecido num armário ou na carteira, enfim! Não sou 100% dependente, mas também não me imagino a viver totalmente sem ele! =D Quanto às novas gerações de gentes de palmo e meio... conheço um caso em que eles namoravam por telemóvel e que quando um deles ficou sem o bichinho, por avaria, o namoro acabou! Surreal, não?! Enfim... parece que estes pikenos já nascem a saber teclar e com os tlms agarrados à palma da mão! É pena! Digo eu...

Em relação à forma como tratas os teus telemóveis, apraz-me dizer, que não estás sozinha! LOL LOL

Tulipa disse...

Olha, eu também tenho uma relação de amor/ódio com o telemóvel...só para dar uma ideia em toda a minha existência só tive 3 telemóveis e todos muito pouco sofisticados...no entanto, não vivo sem ele e acho mesmo que se um dia me esquecer de o trazer comigo não a aguento a falta. É um pau de 2 bicos, distrai-nos de quem está ao nosso lado e aproxima-nos de quem está longe...kiss

Angel in the dark disse...

Tenho de concordar contigo, os miudos vivem colados neles, são totlamente dependentes deles... e esuqecem o melhor que são as relações pessoais sem eles.

Angel

pinguim disse...

Para mim, um telemóvel serve apenas para receber e fazer chamadas e enviar ou receber Sms's, e não é sempre.
Reconheço que hoje a vida sem telemóvel seria quase impossível de compreender, mas não sou escrevo dele, nem compreendo quem o seja...

johnny disse...

"Desenvolvem-se os polegares em detrimento do cérebro." Concordo, apoiado, eu voto nisto

"Senão vejamos. Um dia destes, enquanto accionava o meu modo Darth Vader com a mais velha" Adoro estas cenas.

Gingerbread Girl disse...

Relação amor/ódio, é mesmo isso.
Eu curtia não curtir... também é isso.
Mas admito que os sms's dão um jeitão... da mesma forma como a tua filha te diz que sem o tlm, não encontra ninguém (HA HA HA), eu também penso muitas vezes, quando era cachopa (16/17 anos), como raio é que o pessoal se encontrava... :|
Parece quase impossível como não nos perdíamos todos uns dos outros.

*

meldevespas disse...

Chica: Oh se pode!!! É o pior castigo q posso dar aos meus: "confiscar-lhes" o telmóvel por tempo indeterminado. Até sobem pelas paredes!
Beijo
Bela: Concordo em absoluto! Aí sou mesmo eu que subo pelas paredes! não há pachorra.
Beijoca
Silvia Net!!! Oh D. Silvia vai à net no telefone móvel!!!eheheh
Com estes artefactos sou de facto uma desmazelada do piorio! Beijinho
Tulipa Verdade, hoje em dia n imaginamos sequer uma existência sem eles...nada a fazer
Kissss
Angel É essa faceta que me assusta, as pessoas ausentam-se dos outros, literalmente!
Beijo
JoãoFoi o q sempre pensei! Só pra fazer chamadas!Mas afinal parece que não, e a escravidão é visivel Jazuzi!!!
Beijinhos
Jóni Ai adoras!? Cá em casa estas "cenas" não são muito apreciadas...vá-se lá saber porquê...
Beijinhos
Ginger A verdade é que nunca nos perdiamos uns dos outros! E não conta dizer que eramos menos porque é mentira, há cada vez menos gente cá no burgo -_-
E sim, as sms's dão muito jeito ;D
Bêjo

Lala disse...

Essa é que é essa!! O pequeno desgraçado que não fazendo falta, sempre faz! O meu anda sempre comigo (ainda vou tentar descobrir para quê) e não saio de casa sem ele... é um facto! É como aquelas que não saem de casa sem estar maquilhadas... tas a ver?? :D

Beijinhos**

meldevespas disse...

Lala: ....eu raramente saio de casa sem estar maquilhada! Tens alguma coisa a dizer sobre isso!!! Ah! pensava!
E o bicho também vem sempre comigo, sento-me no carro e ponho-o no assento, e quando me levanto´pra sair, invariávelmente o desgraçado vai parar ao meio do chão...

Lala disse...

Ahahahahah! Estou farta de me rir!!! Eu não tenho nada contra, aliás admiro imenso aquelas pessoas que conseguem em menos de 5 minutos, colocar sombra, eyeliner (como se tivesse a ajuda de uma régua) e rímel.... se eu tento fazer uma, uma só, são logo 15 minutos! E isso é quando não fico com as pinturas descoordenadas, ou não enfio os lápis nos olhos!!! Não consigo... de todo!!!
E penso tantas vezes: "Como é que elas conseguem?? Mas como??" :))))

Beijinho**

Enviar um comentário

 

Blog Template by BloggerCandy.com