sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Pata na poça...

Quem de nós, pelo menos uma vez por semana, ou por dia, vá, quem, dizia eu, não mete a pata na poça?
Ou como diria a Grande Britney (not), ops! I did it again!
Aqui em Reguengos, há muitos muitos anos atrás, no principio do século vinte, havia um grupo de teatro, claro está composto na sua maioria por gentes bem posicionadas da sociedade local da época.
As admissões no seio do restrito grupo eram muito apertadas, e só contornadas por uma boa cunha, ou um nome decente. Ora um certo novo rico, comerciante da praça, há muito assistia a todos os ensaios da distinta trupe, sempre a salivar, desejoso do momento em que chegaria o convite e aí sim, ele teria a oportunidade de mostrar ao mundo o seu enorme talento. Certo é que, dias antes de estrear a peça, uma comédia de costumes, muito polida e correcta, um dos actores cai à cama com uma desinteria aguda. O papel era modesto, o tempo era pouco, porque não? O convite chegou e o dito cujo exultou de orgulho e alegria. Noite e dia, o caixeiro, dono de uma loja de lavoures, repetia a sua fala, "Sr. Doutor, o jantar está servido", falava num tom, experimentava outro, uma pose, depois outra. Por falta de ensaios, aquilo não podia sair mal, ah isso era de certeza!
Chegou o dia da estreia, a plateia do então novo e esplendoroso Cine Monsaraz, quase estoirava de tão cheia, nos camarotes era uma azafama, plumas, e rouges e bengalas, tudo a postos para as pancadinhas de Molière. A dramatização corria sobre rodas até ao momento em que entra o caixeiro, muito digno e elegante, e com uma voz muitíssimo bem colocada, diz numa vénia: " Senhor Jantar, o doutor está servido."
Escusado é dizer, que a carreira do jovem comerciante acabou ali mesmo.
E agora vocês perguntam "mas esta gaija agora lembrou-se disto porquê??"
Porque hoje é Sexta-Feira, porque alguém pode estar a preparar um jantar pra receber visitas, ou só o jantar de todos os dias e quem sabe hoje apetece-lhe fazer um doce, mas um daqueles doces que nos deixa a salvo de "meter a pata na poça", um daqueles doces infalíveis, e ainda por cima bonitos e uiii fashion.
Tomem nota, trata-se duma Tarde de Frutos do Bosque, que é como quem diz une Tarte de Fruits de La Fôret (em francês chia mais fino).

Então lá vai:


- 1 base de massa folhada fresca, ou massa quebrada, dependendo do gosto de cada um, se tiverem paciência também podem usar filo, dessas bases redondas que existem em todos os supermercados;
- 1 embalagem de frutos do bosque congelados;
- 1 embalagem de natas frescas, daquelas do saquinho, nada de embalagens tetra prisma, ok?
- 3 colheres de sopa de açúcar branco
- 4 colheres de sopa de açúcar mascavado
- 1 pau de canela
- raspas de chocolate
- um cheirinho de porto

Forrem V. Exas. uma daquelas formas de tarte, que se tira o fundo, com a dita base de massa, piquem muito bem com um garfo, encham com grãos ou feijões secos até meio (impede a massa de inchar) e levem ao forno quente durante uns 20 minutos. Nunca é demais lembrar que os fornos variam muito, pelo que é conveniente ir espreitando, e quando estiver dourado, retirar e deixar arrefecer.
Entretanto, levar ao lume, os frutos com as quatro colheres de sopa de açúcar mascavado, o pau de canela, e o cheirinho de porto. Deixar ferver um bocadinho até ganhar um ponto leve de compota, sem deixar de mexer, senão pega-se tudo e lá vai a intenção pelo cano abaixo, if you know what i mean...
Mais uma vez deixar arrefecer.
Seguidamente, bater as natas, que devem estar bem frrrias. Primeiro bater devagar por um minuto , depois juntar o açucar branco e bater na velocidade máxima até obter a consistência de chantily. Por fim é só montar (montar é uma palavra linda). Dentro da massa folhada deitar a compota de frutos já fria, por cima o chantily e por fim, generosas raspas de chocolate.
Experimentem e façam um figurão, é que nunca falha!



ps: os grãos e os feijões secos é pra jogar fora tá bem? Pronto. é só porque ...tá bem.
Pic lá de casa por alguém lá de casa

7 comentários:

johnny disse...

De que falamos concretamente quando falamos de frutos do bosque?

E qual é a marca que fornece tão famigerado composto?

meldevespas disse...

Jóni Vais-te ensaiar na cozinha? A Iglo tem uma mistura de frutos vermelhos, e no "Marché" há uma miscelânia de frutos silvestres tb munta boa, é só procurares. E agora chega de publicidade. Bêjo

pinguim disse...

Um dia inicio-me a série nas sobremesas: só sei fazer mousse de manga...

weee disse...

É uma destas que vais fazer no próximo fim-de-semana que ALGUÉM te vá visitar? :think:

meldevespas disse...

João Mousse de manga é um dos musts aqui em casa, o Zeca ADORA! O mal da malta fazer sobremesas e doces e coise, é que depois essas coisinhas têm que ser comidas....
Catarina de Jesus Pode ser que ALGUEM tenha essa sorte, logo se vê se eu estou in the mood pra isso....humpf
:DDDD

Gingerbread Girl disse...

Esquece lá os hapinesses. Quero antes isto.
A história do fidalgo veio a propósito de quê, mesmo? mhm... eu li a explicação e ainda assim não atingi. mhm
Talvez seja por ser cedo, talvez seja por ser burra. mhm
Shiu. Nem te atrevas Carmo Maria. Nem te atrevas. ««

meldevespas disse...

Ginger Gnger Ginger.... então é assim:
- às vezes queremos tanto, mas tanto fazer bem uma determinada coisa que metemos o pé na poça, ou seja metemos os pés pelas mãos, foi o que aconteceu ao rapaz que queria tanto o teatro e no fim acabou por trocar tudo. tá? entendeu agora? vai daí que é o que nos pode acontecer quando queremos fazer boa figura à frente das visitas por exemplo, um doce fracassado ou assim, por exemplo no ano passado fiz um semifrio de morango prá Weee e aquilo ficou com a consistência de iogurte de morango <<.
Qualquer coisa é só dizeres, estou aqui pra isso...

Enviar um comentário

 

Blog Template by BloggerCandy.com