quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Rex the Cat e os Heróis da Guitarra

Já chegou, e é menino...Agora era a vez de se ouvir um coro de vozes a aclamar com alegria a boa nova...
Mas não... não desta vez.
O Rex, chegou. O Rex é um gato siamês. O Rex é um gato siamês chato.
Cedi. Depois de pesadas pressões, depois de ameaças graves à minha periclitante integridade psicológica, depois de rogos de joelhos arrastados à laia de pagar promessas pelo chão do corredor, depois de suplicas e comprometimentos e juras e ..... depois de tudo cedi.
Aqui está um gato. Ainda não é bem um gato gato. E pelo tratamento que lhe tem sido proporcionado não sei se lhe auguro um bom futuro.
É o Rex. Pareceu-me ser um nome apropriado para o ser em questão.
O animal passa de mão com a mesma facilidade que o comando da televisão, é empanturrado de Coisas Saquetas, e biscoitos para gatinhos (deprimente isto...), e leite e assim.
Acho que a criatura está a desaprender de miar. Entregou-se. Tão novo e já com uma noção tão nítida de como vai ser a existência dele daqui em diante. Mimos, apertos, beijos (prémio oficial de "pessoa" mais beijada na última semana), gritos e choros (outra vez). Cá em casa a moeda oficial é o grito, e a língua mais falada é a choradeira.
O meu maior medo no meio disto tudo, é que o sacana do bicho tem uns olhos azuis, e às vezes olha pra mim com aquele olhar de quem já cá andou neste mundo. E o sacaninha sabe que mais cedo ou mais tarde (vai ser mais cedo) também eu vou cair de quatro por ele.
Estúpido do Gato.
Mas as mudanças aqui por casa não se esgotam no gato. Não. O pai resolveu obsequiar as crianças com mais um joguinho prá consola. Desta vez o Guitar Hero. Aquilo vem acompanhado de uma espécie de guitarra com uns botões a fazer as vezes das cordas e a malta arma-se em Marks Knopfleres e Carlos Santanas e outros, e curte bué.....
A mais nova gosta do Kurt Cobain, o rapaz é um verdadeiro Sultan of Swing e a mais velha é mais A Perfect Circle. Enfim. Uma animação pegada.
Uma animação pegada não fora o caso de haver uma guitarra para três pares de mãos! Imaginem! Não! esqueçam, não imaginem, é demasiado doloroso. O som a roçar o insuportável, e os gritos Santo Deus. -Agora sou eu!!!! Sai daí anormal! És mesmo parva, sabes há quantas músicas aí estás? Q u a t r o, ouviste!? Quatro! Mentirosoooooo! Deficiente! Só sabes tocar essa, grande tótó. Fiz 98% e tu ZERO! É que levas já! Mãeeeeeeee ela bateu-me!!!!!
Pronto, é assim.

Ahh é verdade, esquecia-me de mencionar que também temos um microfone. Pois às vezes chega-se a um consenso podre, por alguns breves minutos um toca outro canta. Em inglês...
Dou por mim a pensar, nestes momentos que deveriam der de paz, que prefiro os gritos a ouvi-los cantar. Coitadinhos.

A pequena já chamou o pai à parte, e como quem não quer a coisa disse, a pestanejar de modo a deixá-lo no habitual estado hipnótico em que as duas raparigas o deixam: - Paizinho, não te esqueças, para o Natal, compras a bateria.

É o quê?!!!?


17 comentários:

weee disse...

E não é que o estupor do gato vai-te mesmo pôr de quatro? Dou-te mais 3 ou 4 dias -_-

Agora o Guitar Hero... Isso sim! ISSO SIM!!! Essa casa deve ser a p*** da loucura!!!!

Só digo uma coisa: Zé, tu começa a ganhar amor à vida senão na passas deste Natal -_-

Lost In Portugal disse...

Tens todo o meu apoio psicológico à distância! Isto vai ficar como Lip que nao me apetece mudar de contar para comentar :p

Demóstenes disse...

O bichano é engraçado. E tem personalidade. Roubar-te-á, em breve, o coração.

Óptimo fim-de-semana!

D* disse...

Ooooh o gato é tão lindo! :)

meldevespas disse...

Weee:é que é mesmo a puta da "lócura", tu nem te passa pla cabeça :S ... o Zé anda já apensar na terapia para a bateria...
LostLaudinha: Obrigada meu amor, do fundo do coração-_-
Demóstenes: Já roubou....estupido do gato...
D*: Mesmo!!! Só apetece apertar eheheh

Gingerbread Girl disse...

Ainda não li o post. Amanhã que agora na tenho tempo.

É só pa dizer que fiz os brigadeiros.
Aquilo tava muito quente e eu não conseguia moldar as bolinhas... e então meti o tachinho dentro de uma taça com gelo. Atão aquilo enrudeceu muito. Quando tentei fazer as bolinhas, aquilo estava bloco teso, e sé consegui fazer meia dúzia de bolinhas com a camada mais mole de cima.
Depois tentei tirar com uma colher, o resto. Mas a colher dobrou, porque aqui tava rijo que nem cornos, basicamente.
Desisti e tentei com uma faca... mas demorava muito tempo, porque tinha de picar e picar até que se soltasse um bocadinho.
Então comecei a escavar com as unhas... tive duas horas nisso... e a chupar da ponta dos dedos.. mas já me dói a parte entre a carne e a unha de tanto fazer força e acho que infectei isto.
E pronto, vim aqui contar-te isto enquanto a memória está fresca, que agora vou emborcar uns copitos de tinto para tentar esquecer esta noite. loco*

*

Gingerbread Girl disse...

É que nem sei como vou conseguir lavar o tacho. :x

Brown Eyes disse...

Mel vou só comentar a parte do gato porque a outra, musica né?, não percebo bóia. Gatos? Não gosto muito. Demasiada personalidade para mim rssss. Quando se lembram que não querem festas por mais que tentes não consegues nada, estas é sujeita a levar uma unhada se insistes. Não, não me agradam muito. Cães esses sim, esses põem-me doida. Mas que o gatito vai conseguir que tu tenhas mais uma em cima de olho aí isso vai. Eu desde ontem que tenho uma companhia super divertida. Tanto que quando cheguei a casa tinha tudo fora de sítio. Velas, incenso,folhas secas, lápis, até os auscultadores, mais um bocadinho fora e, não conseguia entrar na cozinha e na sala. Lá em cima o animal portou-se tão bem que eu achei por bem dar-lhe aqui liberdade total. Pois pois, tomou-a toda. Um Gaio,com uma força bruta no bico e nas patas. Havia comida escondida por todo o lado. Escusado será dizer que tive que o pôr numa gaiola. Coitadinho mas...fogo o animal não parou em todo o dia. Era só o que faltava, chegar a casa e ter tudo não sei onde e pior, tudo cagado. Pode? Animais...como gosto deles! Mesmo gatitos. O ano passado fomos de férias para a Cantábrica, de auto-caravana. Encontramos lá um gatito, muito meiguinho, que não nos largou e entrou para a auto-caravana. Achamos engraçado. Tão engraçado que para ele o w.c. era em todos os cantos, menos no caco da areia.Eu não fazia mais nada senão limpar porcaria dele. Como os homens são muito práticos quando dei conta o gato tinha ficado nas Catedrais. Foi atrás de uns garotos e desapareceu. Aquilo chegou a um ponto que eu tinha virado escrava do gato. Passava o dia o limpar o que ele sujava. Imagina numa auto-caravana! Só tínhamos aqueles edredons e ele cagou-os. Tivemos que comprar outros. Enfim...histórias de animais malandros mas lindos. Quem me dera poder ter aqui mais.Beijinhos. Adorei o post. Está demais. Põe algodão nos ouvidos senão vais ficar surda, ai vais vais.

meldevespas disse...

Mary B.: Com uma experiência dessas também eu fuguria a sete pés de gatos pra toda a minha vida, safa!!!!!(mas que deve ter sido animado, ahhh isso de certeza rsss)
O Rex, até hoje (que o diabo seja cego, surdo e mudo) ainda n fez fora do "penico", uma única vez, parece ser uma criatura bastante inteligente (ora essa!!!)
Mas e então o pássaro? Tens um gaio em casa porque gostas ou porque te entrou pela janela? É que sou sincera, eu n me lembraria de ter um pássaro à solta dentro de casa por vontade minha. No entanto aqui há uns anos, num dia de grande trovoada e ventania, o dia amanheceu com um periquito dentro da minha cozinha, o bicho estava apavorado, provavelmente tinha caído pela chaminé, levado pelo vento, sei lá. Lá o colocámos dentro de uma gaiola, e foi logo ali baptizado com um nome à altura do acontecimento: Trovão!
Beijos Grandes

Brown Eyes disse...

Mel a história do gato foi super animada. Havias de me ver esconder as asneiras do gato como se escondem as de um filho. Tanto escondi que fomos descobertos. Não dava para continuar com ele. Era impossível. Mas ele como veio atrás de nós foi atrás dos putos. Era meio tresloucado e não tinha amor a nada. Fiquei com um vídeo dele. Era preto e branco, lindo mas, só fazia o que queria e por mais que o ensinasse não ia lá.
Mel não tenho o gaio por opção. Encontrou-o o meu mais que tudo na rua e é meiguinho, o que indica que é amestrado, como sabia que eu já tinha tido um periquito, também o encontrei já ensinado, que me fazia companhia, como um cão, falava, é falava, andava pela casa no meu ombro, como sabia que eu há muito que queria um animal de estimação aqui, onde vivo durante a semana, apanhou-o e trouxe-o. Lá em cima, onde vou, ao fim de semana, onde está o meu mais que tudo, temos muitos cães, aqui um cão não dá jeito, vivo num prédio e leva-lo à rua, estar o cão fechado todo o dia, não é bom nem para mim nem para ele. Queria um animal que me fizesse companhia sem me dar muito trabalho. Daí ter vindo o gaio. Este animal não se safava em liberdade. É meiguinho e claro se um garoto ou um gato o apanhassem ia desta para melhor. É super inteligente, nem imaginas! Daí me ter virado a casa ao contrário. Agora está todo o dia na gaiola, à noite, quando chego a casa, deixo-o dar uma voltinha na kitchenette, depois vai para a gaiola para dormir. Tenho esperança conseguir ensina-lo a falar. Os gaios aprendem com facilidade. Nem imaginas a personalidade que tem. Só faz o que quer. Quando chego a casa, já sabe que venho lá, começa a cantar. A pouco e pouco vou conseguir que ele faça o que eu quero. Será? Vamos ver.
Mel animais esquisitos é mesmo comigo. Encontram-nos e depois eu fico com eles. Já tive um ouriço cacheiro, ai esse, o trabalhão que me deu. Esse só consegui que entendesse o nome, Herbie. Deixei-o a primeira noite em liberdade. De manhã quase que não tinha onde pôr os pés. TUDO CAGADO. Tive que lhe arranjar uma gaiola. Esteve anos comigo e um dia, um belo dia pu-lo na rua para apanhar sol, sem gaiola, fugiu. Tive um cágado. Esse não dava trabalho nenhum, no inverno hibernava nos meus sapatos, no verão tinha uma piscina para ele com uma ilha para se pôr ao sol a bronzear(rsss) Tive-o uns quatro anos. No fim da última primavera que esteve comigo, despertou meio esquisito, não sei o que se passou, fui dar com ele esticado na piscina. Tu imaginas o que passo quando os meus animais morrem? Quase que vou parar ao hospital. O caso do periquito foi horrível. Já lhe tinha arranjado uma fêmea, para ele estar acompanhado, que ele não permitia que se chegasse ao pé de mim, com ciúmes, até os animais são ciumentos, o esquentador gastava gás industrial, tinha uma fuga, pequena mas suficiente para me matar os dois. Estava a ver que não conseguia superar. O Kikinho era a minha companhia. Eu a trabalhar, fazer serão, e ele ali a meu lado a brincar com as canetas, as linhas, etc. Estás a ver como adoro animais né? Estás a ver como encaro a morte deles né? Pois pois, arranjei outra carga de trabalhos.
O Gaio ainda não tem nome. Não sei que nome lhe vou dar. Queria um nome pequenino…
Que se passou com o Trovão? Ainda o tens?

abigale disse...

a bateria???? que pânico! pois.. o meu namorado tem a guitarra...

Carlos Albuquerque disse...

Venho agradecer a visita ao meu blog, via Fábrica de Letras, e o comentário deixado.
Este seu blog é arejado. Vou voltar. Fico como seguidor, se quiser juntar-se aos meus, venha, a porta está aberta.
Abraço

meldevespas disse...

Mary B.: O Trovão foi-se já há mais de um ano, coitadito, achgo que na casa antiga devia ter uma companhia, e depois de alguns meses na solidão, um dia amanheceu morto.RIP Trovão! Não sei como consegues ter um pássaro a voar dentro de casa...é uma daquelas coisas que me causa arrepios. Mas uma coisa devo dizer, oh rapariga tu tens que ser uma dona muito dedicada! domar um pássaro!eeeheh
Abigale: Ah então já sabes dar o valor! Vou rezar pra ver se a bateria entra no esquecimento....mas duvido que resulte.
Obrigada pela visita, volta sempre
Carlos: Foi uma simpatia vir até aqui. Também gostei muito do seu espaço. Já lá voltei para lhe deixar o link da minha participação na Fábrica, num blogue que tenho em outra plataforma.
Beijo

Brown Eyes disse...

Mel eu sou de extremos, se gosto dedico-me senão...baldo-me ahahah. Mel há um selinho no meu blog para ti. Passa por lá. Beijinhos

Teresa disse...

Olá Mel
Não descobri o post do preto e branco, mas descobri coisas muito familiares: o gato, também tenho, uma gata e dois cães, adoro todos eles e não lhe dou uma semana para estar apaixonada.
Quanto à música, sou mãe de dois adolescentes, por isso o ambiente de loucura também me parece conhecido!
Bjs

meldevespas disse...

Teresa: Já vi que temos muitas coisas em comum ehehe, e agora já é oficial, estou de rastos pelo gato, tomou-me conta do coração, e o mal é comum a todos cá em casa.
Não encontrou o post do Preto e Branco, porque ele está no blogue que mantenho no sapo, o link, caso queira ir espreitar, está aqui perto do cabeçalho deste blog.
^Beijinho

Mulher a 1000/h disse...

Por estes dias já estás de quatro pelo gato! E com isso já vão quatro... que quando a gente se apaixona pelos bichos fica-se meia parva e vê-os como filhos... LOL :) - Boa Sorte com a outra música! ;)

Enviar um comentário

 

Blog Template by BloggerCandy.com